UPPC - UNIDADE PSIQUITRICA PRIVADA DE COIMBRA, LDA


Missão / Valores


Missão
Contribuir para o bem-estar da população através da oferta de cuidados de saúde, de atividades de formação e de investigação, na área da Psiquiatria e Saúde Mental, de acordo com padrões de referência internacionais.

Visão
Nos últimos anos os enormes progressos verificados no campo da Psiquiatria trouxeram novas perspetivas no que respeita ao diagnóstico, tratamento e prevenção das perturbações psiquiátricas bem como à forma como os cuidados psiquiátricos são prestados. Atualmente é imperativo que os Psiquiatras possuam um conhecimento técnico-científico aprofundado sobre psicopatologia, instrumentos de avaliação (neuroimagem, neurofisiologia), neurobiologia, intervenções terapêuticas (biológicas, psicoterapêuticas, psico-sociais e de reabilitação) alicerçado em fortes aptidões comunicacionais. Com estes pressupostos, pretendemos que a Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra se constitua como um centro de referência para a prática clí­nica, ensino/formação e investigação em Psiquiatria e Saúde Mental.

Missão / Valores

VALÊNCIAS


Consultas médicas na Unidade

A Unidade Psiquiátrica disponibiliza avaliação, tratamento e seguimento em regime de ambulatório (consultas) para uma diversidade de patologias psiquiátricas em crianças, adultos e pessoas mais velhas. As instalações da Unidade estão devidamente preparadas para acolher pessoas com dificuldades de mobilização localizando-se numa zona privilegiada da cidade de Coimbra, com fáceis acessos rodoviários, possibilidade de estacionamento, e bem servida por transportes públicos.

Os profissionais da Unidade têm treino específico em diferentes áreas da Saúde Mental e patologias psiquiátricas ao longo do ciclo de vida. Para além de disponibilizamos consultas de Pedopsiquiatria e Psiquiatria Geral, existem consultas dedicadas a tópicos específicos nomeadamente Consulta de Gerontopsiquiatria e Consulta de Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção.

A nossa abordagem terapêutica inclui intervenções farmacológicas (quando apropriado) bem como intervenções psicoterapêuticas com Psicólogos credenciados para o efeito que trabalham em colaboração direta com os médicos da Unidade. O tratamento é proposto de forma individual para cada caso concreto, de acordo com as mais recentes evidências científicas, e discutido com o utente de forma a otimizar a sua recuperação clínica.

Psicologia - crianças e jovens

São realizadas avaliações e intervenções nas seguintes áreas:

- Dificuldades de aprendizagem (dislexia, discalculia, disortografia)
- Pertubação de hiperatividade e défice de atenção
- Perturbações de ansiedade (recusa em ir à escola, perturbações obsessivo-compulsivas, fobias)
- Depressão
- Perturbações do sono (insónia, hipersónia, terrores noturnos, sonambulismo)
- Perturbações controlo da urina e das fezes
- Problemas alimentares (anorexia nervosa, bulimia nervosa, obesidade, problemas alimentares específicos no bebé e criança)
- Autismo e síndrome de Asperger
- Doença crónica e consequências para saúde mental
- Alteração de comportamento na sequência de um acontecimento crítico (divórcio dos pais, contexto de doença, morte de familiar)

A avaliação psicológica compreende pelo menos três sessões, podendo existir a premência de se realizarem mais, em função das necessidades detetadas nas duas primeiras sessões.
A primeira sessão é feita com os pais ou representantes legais, a segunda sessão (ou mais sessões) com a criança ou adolescente e a última sessão é feita com os pais/representantes legais, onde são apresentados os resultados da avaliação bem como as diretrizes terapêuticas.



Ensino e Formação

A Unidade tem como compromisso essencial desenvolver atividades de ensino e formação para profissionais e para a população em geral. Ao longo do ano são disponibilizados cursos de formação sobre diferentes temas especificamente direcionados para diferentes profissionais (ex.: médicos, enfermeiros, professores, cuidadores formais) bem como atividades formativas para pais, familiares e cuidadores informais.

Investigação

A Unidade trabalha em parceira com diversas instituições internacionais e nacionais para o desenvolvimento e implementação de estudos que abordem as diferentes questões científicas relacionadas com a prevenção, fisiopatologia, epidemiologia, diagnóstico, intervenções biopsicossociais e impacto na comunidade das doenças mentais. As áreas de investigação prioritárias incluem patologias psiquiátricas no idoso (demências, incluindo doençaa de Alzheimer, depressão e delirium) e perturbações do neurodesenvolvimento (ex.: PHDA, autismo e perturbações do desenvolvimento intelectual). Os profissionais da Unidade são incentivados a desenvolver competências de investigação sendo vários deles revisores de publicações científicas e autores de artigos publicados em revistas científicas de elevado impacto.



Neuropsicologia Clínica - adultos

A Neuropsicologia Clínica é a especialidade que procura compreender a expressão comportamental da disfunção cerebral e a relação global da estrutura do cérebro com o funcionamento cognitivo e emocional. Desta forma, a consulta de Neuropsicologia é indicada em casos de dificuldades cognitivas, emocionais, e/ou comportamentais decorrentes dos processos de desenvolvimento normativo (ex., envelhecimento, ansiedade etc.) ou associadas a várias condições clinicas, tais como: Demências, Acidente Vascular Cerebral (AVC), lesões cerebrais associadas a Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE), Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) etc.

A avaliação neuropsicológica assume um papel essencial na clarificação diagnóstica, visando a caracterização das funções cognitivas e comportamentais por recurso a um conjunto de testes e procedimentos estandardizados e empiricamente validados.

A identificação dos recursos neurocognitivos constitui o ponto de partida para o desenvolvimento e implementação de estratégias de reabilitação personalizadas que poderão optimizar o funcionamento quotidiano e prolongar a independência e autonomia.

Por outro lado, a sinalização e quantificação da severidade de distúrbios psicológicos, incluindo ansiedade e depressão, possibilitará a implementação de intervenções psicoterapêuticas que permitam lidar com os factores biopsicossociais que contribuem para o desenvolvimento de psicopatologia e influenciam o seu curso.

Consultas médicas no domicílio

Atendendo a que uma percentagem significativa de utentes apresentam patologias complexas e elevados níveis de dependência que dificultam ou impedem mesmo a sua deslocação às instalações da Unidade Psiquiátrica, disponibilizamos um serviço que garante um acompanhamento médico e de enfermagem no domicílio (incluindo instituições).



Psicoterapia e Psicologia Clínica - Adultos

Consulta de Medicina Psico-somática

A fibromialgia é uma doença crónica que se caracteriza por dor músculo-esquelética generalizada, afectando entre 4-8% da população geral, sendo mais frequente em mulheres. Além dos sintomas dolorosos são frequentes as queixas de formigueiros, sensação de adormecimento, tremor e sensação de rigidez de articulações e músculos. Os sintomas músculo-esqueléticos são muitas vezes migratórios (saltam de uma área corporal para outra) e flutuantes no seu curso, sendo que estudos recentes apontam para o papel de períodos de maior stress e angústia como factores precipitantes dos sintomas. São também frequentes alterações do padrão do sono, com dificuldade em adormecer e sensação de sono pouco reparador, fadiga e sensação de esgotamento físico e diminuição da capacidade de concentração, que podem ter um impacto marcado no dia-a-dia. Os sintomas ansiosos e depressivos também têm maior prevalência nos portadores de fibromialgia e devem ser atempadamente tratados, pois podem condicionar agravamento dos restantes sintomas. Apesar de não existir uma cura para a doença, existem vários tratamentos farmacológicos e não farmacológicos que podem atenuar os sintomas de fibromialgia e melhorar o prognóstico a longo prazo, pelo que o reconhecimento atempado e a intervenção precoce se tornam fundamentais.



Consulta Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção

A Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) caracteriza-se por dificuldades atencionais e excesso de atividade motora com início na infância, sendo que a maioria dos doentes mantêm sintomas ao longo de toda a sua vida. Por outro lado, muitos adultos com PHDA nunca foram diagnosticados e vêem o seu dia-a- dia prejudicado pelas dificuldades decorrentes dos seus sintomas. Em adultos com PHDA são frequentes dificuldades na gestão da sua vida diária com prejuízo da sua vida pessoal e profissional.

Os sintomas mais comuns no adulto passam por:
- dificuldade em permanecer na mesma tarefa por tempos prolongados;
- dificuldades na gestão de tempo, com atrasos frequentes para compromissos pessoais ou profissionais
e dificuldades em terminar tarefas dentro do prazo estabelecido e em organizar o tempo para as cumprir;
- impulsividade nas relações interpessoais (“agir antes de pensar”, interromper os outros enquanto falam, decisões intempestivas);
- agitação motora, sentida como uma inquietude interior, “como se ligado à corrente”, com frustração fácil em situações de espera (filas, por exemplo).

Além dos sintomas fundamentais da perturbação, a grande maioria dos adultos com PHDA apresenta outros sintomas psiquiátricos, como sintomas depressivos e ansiosos, baixa autoestima e instabilidade emocional. O diagnóstico atempado por parte de profissionais de saúde com conhecimento adequado na área é essencial, para que sejam implementadas estratégias terapêuticas eficazes de forma a minimizar as consequências negativas desta perturbação e promover a qualidade de vida do indivíduo e respectiva família.

Consulta de Gerontopsiquiatria

A Consulta de Gerontopsiquiatria é dirigida às pessoas mais velhas
com sintomas emocionais, comportamentais e/ou cognitivos associados ao envelhecimento. Para cada doente, os cuidados de saúde são coordenados por um Psiquiatra com prática específica em Gerontopsiquiatria e administrados por uma equipa multidisciplinar a partir de um plano individualizado que abrange aspetos emocionais, psicológicos, físicos e sociais.

A Doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência. Os sintomas iniciais de demência incluem perda de memória frequente e progressiva; confusão; alterações da personalidade; apatia e isolamento; e perda de capacidade para a execução das tarefas diárias. Com o agravamento da doença verifica-se agitação, comportamento motor aberrante, ansiedade, exaltação, irritabilidade, depressão, delírios, alucinações e alterações do sono ou do apetite.

Embora frequente, a depressão nas pessoas mais velhas é dífícil de reconhecer pois os próprios doentes negam muito frequentemente ter sintomas de depressão (como perda de apetite, falta de interesse, energia e motivação para fazer atividades sociais, ansiedade, sentimento de inutilidade, perturbações frequentes do sono, sintomas de culpa e baixa autoestima). Por outro lado, a semelhança entre os sintomas de depressão com os de demência conduz, muitas vezes, a um diagnóstico tardio.



EQUIPA


Professor Doutor Joaquim Cerejeira (Psiquiatria)

Professor Doutor Joaquim Cerejeira (Psiquiatria)

Licenciatura em Medicina pela FMUC (2002). Especialista em Psiquiatria (2010). Doutoramento em Medicina pela FMUC (2012) com a Tese "Delirium pós-cirúrgico: estratificação de risco, diagnóstico e prognóstico com biomarcadores". Executive Masters em Gestão de Unidades de Saúde, Católica Porto Business School (2013). Atualmente é Assistente Hospitalar em Psiquiatria no CHUC e Assessor da Direção do Internato Médico desse centro hospitalar. Professor Auxiliar Convidado de Psiquiatria na FMUC, desde Setembro de 2013 (cadeira de Psiquiatria do 4º ano do Mestrado Integrado em Medicina). Autor de 10 artigos cientí­ficos em revistas internacionais (como primeiro ou último autor) e Co-coordenador dos Livros "Psiquiatria Fundamental" e "Saúde Mental das Pessoas Mais Velhas". É revisor de artigos em diversas revistas internacionais e Membro do corpo editorial da revista Geriatrics. Em 2012 obteve o Junior Investigator Award (International College of Geriatric Psychoneuropharmacology). Membro do Conselho Diretivo do Colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos e do Board da European Delirium Association. É coordenador da equipa de neurociências do IBILI (FMUC).

Dra. Sara Pedroso (Pedopsiquiatria)

Licenciatura em Medicina, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (2005). Assistente Hospitalar de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (Pedopsiquiatria) no Serviço de Psiquiatria da Infância e da Adolescência do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC). Membro da Unidade de Pedopsiquiatria de Ligação do Hospital Pediátrico de Coimbra. Autora de artigos científicos em revistas da especialidade e autora de capítulos de livros, nomeadamente "Perturbações Disruptivas do Comportamento" no Manual de psiquiatria da
infância e adolescência, 1ª ed. (2015). “ Consumo de substâncias em crianças e adolescentes com Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção (PHDA)” no livro Doença Psiquiátrica e Adição: duas faces da mesma moeda (2015) e “Psiquiatria da infância e adolescência” no livro Psiquiatria Fundamental (2014).
Revisora externa da revista Acta Pediátrica Portuguesa. Formação em Terapia Sistémica e Familiar. Pós-graduação em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental. Colaboração como docente na cadeira de Psiquiatria da Licenciatura em Medicina da Faculdade de
Medicina da Universidade de Coimbra. No triénio 2009/2011 foi representante do Conselho Nacional do Médico Interno na Comissão de Verificação de Idoneidade dos Serviços de Psiquiatria da Infância e da Adolescência. Colaboração, como revisora externa, na revista Acta Pediátrica Portuguesa. Orientação e co-orientação de teses, no âmbito do Mestrado Integrado do 6º ano de Medicina. Sócia Aderente da Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (APPIA). Membro Associado da Associação Portuguesa de Internos de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (ANIPIA), tendo o ocupando o cargo de Vice-Presidente da mesma. Membro da Comissão Redatorial da Revista Portuguesa de Pedopsiquiatria. Membro Associado da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar.

Dra. Maria Laureano (Pedopsiquiatria)

Dra. Maria Laureano (Pedopsiquiatria)

Licenciatura com Mestrado Integrado em Medicina pela FMUC (2009). Especialista em Psiquiatria da Infância e da Adolescência (2016). Pós-Graduação em Intervenção Cognitivo-Comportamental (2013). Formação de Diretor de Psicodrama Moreniano. Atualmente é Assistente Hospitalar em Psiquiatria da Infância e da Adolescência no HP -CHUC. Autora de artigos científicos em revistas da especialidade e autora do capí­tulo "Perturbações Disruptivas do Comportamento" no Manual de psiquiatria da infância e adolescência, 1ª ed. (2015). Revisora no processo de validação linguí­stica da escala Columbia-Suicide Severity Rating Scale - Children (C-SSRS) para português. Exerceu funções na ANIPIA, vogal do Concelho Fiscal entre 2012-2014 e presidente da direção entre 2014-2016.Membro da Sociedade Portuguesa de Psicodrama e da Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência. Acreditação clínica nos instrumentos diagnósticos Autism Diagnostic Observation Schedule-Generic - ADOS (2014) e Autism Diagnostic Interview Revised - ADIR (2016). Acreditação clínica como líder de Grupos de Pais e Bebés com o Programa Anos Incrí­veis - Incredible Years® (2015).



Dra. Luí­sa Lagarto (Psiquiatria)

Médica Psiquiatra, com habilitações académicas de Mestrado Integrado de Medicina, obtido na Universidade de Medicina de Coimbra em 2009. Realizou a especialidade de Psiquiatria no Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra de 2011 a 2015. Desde 2016 que exerce funções no Centro Hospitalar entre Douro e Vouga (CHEDV) onde integra a equipa de Gerontopsiquiatria e de Psiquiatria de Ligação. Durante o seu percurso formativo dedicou-se à  área relacionada com a patologia psiquiátrica no idoso, assimilando experiência clí­nica em modelos assistenciais de ligação (apoio ao doente idoso com patologia médica/cirúrgica) e comunitários. Foi colaboradora na consulta de Perturbações do Neurodesenvolvimento. Frequentou cursos de formação internacionais na Área de Geriatria. Autora de trabalhos publicados nas áreas das demências degenerativas e na área da psiquiatria de ligação. Colaboradora em trabalhos de investigação clí­nica na área do Delirium. Foi docente da Cadeira de "Psiquiatria e Psicopatologia Curso de pós-graduação e Mestrado de Enfermagem em Saúde Mental na escola Superior de Enfermagem de Coimbra. Frequenta o 3o ano do Curso de Doutoramento em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

Dra. Mónica Almeida (Psiquiatria)

Concluiu o Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra no ano de 2012. Realizou a sua formação clí­nica do Ano Comum no Centro Hospitalar do Baixo Vouga onde se encontra de momento a frequentar o 4º ano do Internato de Formação Especí­fica em Psiquiatria. Exerce ainda funções clínicas no âmbito das perturbações aditivas na Equipa de Tratamento de Cedofeita (Porto) desde 2016. Concluiu formação pós graduada em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental e o Nível A da formação em Psicoterapia Interpessoal.

Dr. Pedro Esteves (Psiquiatria)

Dr. Pedro Esteves (Psiquiatria)

É Médico Interno de Psiquiatria do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra desde 2013. Realizou o Mestrado Integrado em Medicina pela Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (2005-2011) e o Ano Comum do Internato Médico no Centro Hospitalar Tondela-Viseu (2012). Atualmente é Assistente Convidado da Cadeira de Psiquiatria do 4ºano da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e Docente da cadeira de Psicopatologia e Psiquiatria do Mestrado de Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra. É ainda Secretário da Assembleia Geral da Associação Cérebro&Mente - Associação para o desenvolvimento em investigação em saúde mental. As suas principais áreas de interesse são Perturbações de Humor, Perturbações de Ansiedade e Gerontopsiquiatria. É autor de várias publicações incluindo capí­tulos de livros e artigos cientí­ficos



Dr. Pedro Batista (Psicologia)

Dr. Pedro Batista (Psicologia)

Psicólogo Clínico. Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde pela Universidade de Coimbra. Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. Investigador, com participação em vários projectos científicos nacionais e internacionais na área das neurociências. Autor de artigos científicos publicados em revistas nacionais e internacionais.

Dra. Ana Machado (Psiquiatria)

Concluiu o Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 2012. No ano de 2013 realizou a sua formação clí­nica do Ano Comum do Internato Médico no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Em 2014 iniciou o internato de formação específica em Psiquiatria no mesmo centro hospitalar. Desde então tem-se dedicado, para além das áreas gerais da Psiquiatria, à investigação, diagnóstico e tratamento de Perturbações do Neurodesenvolvimento no Adulto, com particular enfoque na Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção e Perturbações do Espectro do Autismo. Nesse âmbito, realizou diversos trabalhos e apresentações, tanto em congressos nacionais como internacionais. Em 2016 iniciou a sua actividade docente, como Assistente Convidada da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, lecionando a valência de Psiquiatria e Comunicação integrada nas aulas práticas da cadeira de Introdução à Prática Médica. Encontra-se em fase de conclusão da sua formação em Directora de Psicodrama, que iniciou em 2014. É sócia da Sociedade Portuguesa de Psicodrama e da Sociedade Portuguesa de Défice de Atenção.

Dra. Maria João Simões (Psicologia)

Dra. Maria João Simões (Psicologia)

Licenciada em Psicologia, especialidade clínica dinâmica em 2001, pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Mestre em Psicossomática, pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa em 2009. Pós graduada em Proteção de Menores, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra em 2012. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com Especialidade em Psicologia Clínica e Saúde e Especialidade Avançada em Psicologia Comunitária. Desde 2001 a 2013 - Formadora de várias disciplinas em Cursos Profissionais e Cursos Educação Formação, com equivalência ao 12º ano e 9º ano, no ITAP, em Coimbra. Desde 2001 até ao momento- Formadora noutras entidades. Desde 2003 até ao momento- Psicóloga Clínica em diversas entidades privadas de saúde. Desde 2009 até ao momento - Psicóloga e Técnica Gestora de Casos numa Casa de Acolhimento Residencial em Coimbra. Áreas de interesse: promoção da saúde mental (intervenção primária), psicossomática, vinculação, relação pais/filhos, vitimologia, psicologia e justiça. Crianças, adolescentes e jovens adultos



Dra. Elisabete Albuquerque (Psiquiatria)

Dra. Elisabete Albuquerque (Psiquiatria)

Concluiu o Mestrado Integrado em Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 2013 e realizou a sua formação clínica de Ano Comum em 2014, no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Frequenta o internato de formação específica em Psiquiatria do referido centro hospitalar, onde, para além da formação geral em Psiquiatria, tem desenvolvido trabalhos nas áreas da Patologia Aditiva (sendo membro da consulta de Adições) e Psiquiatria do idoso.

Dra. Diana Rafaela (Psiquiatria)

Concluiu o Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 2011, com uma tese sobre Perturbações do Espectro do Autismo no adulto. Em 2013 iniciou o internato de formação específica em Psiquiatria no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Além da actividade clínica em psiquiatria geral, tem-se dedicado em especial às Perturbações do Neurodesenvolvimento no Adulto e Gerontopsiquiatria, áreas nas quais desenvolve investigação, e ainda à Perturbação Obsessivo-Compulsiva. Pós-graduada em investigação clínica pela Harvard Medical School em 2014, curso que leccionou no ano seguinte. Assistente Convidada da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra desde 2017, lecionando a cadeira de Psiquiatria. Formação em Ego de Psicodrama.

Dra. Tânia Silva (Psiquiatria)

Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), Mestrado Integrado em Farmacologia com a tese “The Potential Role of CRF (Corticotropin-Releasing Factor) in the Treatment for Cocaine Addiction.” Atualmente é Médica Interna de Psiquiatria no CHUC, assistente convidada da cadeira de Psiquiatria do 4º ano do curso de Medicina da FMUC, integra a equipa de investigação do IBILI na área das Neurociências. Autora de várias publicações científicas na área das neurociências e saúde mental. Colaboradora da Unidade de Patologia Dual, exercendo intervenção em Adições e Cessação Tabágica. Formação em Terapia Familiar e Sistémica, realizando intervenção em Casal e Famílias. É ainda secretaria da Associação Portuguesa de Patologia Dual e sócia da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar e Sistémica.



Dra. Marta Durão (Psicologia)

Licenciatura em Psicologia Área Clínica pelo Instituto de Psicologia Aplicada em Lisboa (2002) e Mestrado em Psicologia Clínica (2008) pela Universidade do Minho com a Tese "A Organização da Narrativa em crianças com Distúrbio de Hiperatividade e Défice de Atenção: estudo exploratório sobre o impacto da medicação psico-estimulante na matriz narrativa". Formação pós-graduada em Reabilitação Cognitiva nos principais síndromas neuropsicológicos e Formação específica na primeira infância. Desde 2002 é Psicóloga Clínica no Departamento de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra. A sua atividade profissional inclui a realização de avaliações psicológicas a crianças e adolescentes (avaliação cognitiva, emocional, neuropsicológica e de personalidade). Tem colaborado em diversos estudos de investigação clínica nomeadamente na área de neurociências cognitivas e como formadora em vários cursos pré e pós-graduados.

Dr. Fernando Edilásio Pocinho (Psicologia)

Dr. Fernando Edilásio Pocinho (Psicologia)

Áreas de Diferenciação – Psicologia Clínica e da Saúde, Psicoterapia Cognitiva e Comportamental, Psicoterapia Construtivista.

Licenciatura em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, área clínica cognitivo-comportamental (1984). Pós-Graduação em Neurociências pelo Departamento de Anatomia Humana da Universidade de Oxford, Reino Unido (1984). Certificação como Psicoterapeuta Cognitivo e Comportamental pela Associação Portuguesa de Terapia do Comportamento (APTC). Certificação como Supervisor em Psicoterapia Cognitiva e Comportamental pela Associação Portuguesa de Terapia do Comportamento (APTC). Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde e Especialista em Psicoterapia pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. As suas áreas clínicas preferenciais são as perturbações de ansiedade (fobia, ataque de pânico, stress), perturbação depressiva major, perturbação obsessivo-compulsiva e perturbações psicossomáticas. Tem realizado trabalhos sobre aspetos relacionados com a teoria e intervenção cognitivo-comportamental, em diferentes disfunções psicológicas e psicopatológicas. Tem vários trabalhos científicos publicados, nos domínios da psicoterapia e das neurociências, alguns deles em revistas internacionais indexadas no Science Citation Index.



EVENTOS



Dia Aberto sobre Estimulação Cognitiva

Dia Aberto sobre Estimulação Cognitiva
2017-12-07

Na próxima quinta-feira, dia 7 de dezembro, vamos promover um dia aberto dedicado à estimulação cognitiva na Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra. Venha visitar-nos, entre as 10h e as 18h e participe, gratuitamente, nas nossas iniciativas para esse dia.



CONTACTOS

Rua Francisco Sá Carneiro, Lote 1 nº 160
Quinta Mãozinha
3000-606 Coimbra

239051201

geral@uppc.pt

enfermagem@uppc.pt

Segunda a Sábado das 9h às 20h